Busca interna

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Spanair encerra suas atividades

A Spanair anunciou que a partir de hoje (27 de janeiro) todas as suas operações estão encerradas. A companhia informa que fez um acordo com a Iberia, Vueling e Air Europa para bilhetes a uma taxa especial para seus passageiros nos próximos três meses.
A companhia estava com dificuldades financeiras após sucessivos prejuízos. A Qatar Airways tinha intenção de comparar 49% da companhia, mas a negociação não deu certo e o governo de Barcelona não estaria mais disposto a injetar recursos na companhia.
Spanair faz parte da Star Alliance e tem um acordo de Code-Share com a Tam. A companhia chegou a voar com aeronave própria para o Brasil em 1997, hoje a companhia possui um acordo de Code-Share com a Singapore entre São Paulo e Barcelona.
quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Participação no Mercado 2011 - Análise

NACIONAL
2011
2010
Companhia
Participação
Ocupação
Participação
Ocupação
Tam
41,2%
68%
42,8%
67%
Gol
37,4%
68%
39,6%
67%
Azul
8,5%
81%
6,0%
83%
WebJet
5,5%
75%
5,8%
76%
Trip
3,2%
65%
2,1%
61%
Avianca
3,1%
79%
2,6%
74%
Passaredo
0,7%
67%
0,6%
66%
MERCADO (2011):   Crescimento: 15%   Ocupação média: 70%

Desde 2009 o mercado nacional de aviação brasileiro tem crescido duas casas decimais ao ano, superando o crescimento de países como a China e a Índia. E em 2011 não foi diferente, as companhias brasileiras aumentaram a oferta em 12,94% e a demanda aumentou em 15,72%. Com a demanda aumentando mais que a oferta a ocupação média no mercado aumentou de 68,50% para 70,18%, o que é alto se comparado a outros mercados como EUA e Europa. A ocupação média alta mostra que o mercado brasileiro está em plena expansão. Com toda essa expansão os aeroportos estão cada vez mais saturados e a saída encontrada pelo governo foi privatizar o Aeroporto Internacional da Guarulhos (o mais movimentado do país), o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek - Brasília (o terceiro mais movimentado) e do Aeroporto Internacional de Viracopos - Campinas (um dos aeroporto que mais cresceu nos últimos anos).

TAM: A Tam perdeu 1,57 ponto percentual de mercado e isso se deveu ao avanço de companhias menores como a Trip, Avianca e principalmente a Azul. Porém companhia se distanciou da Gol, a sua principal concorrente que inclusive foi a líder do mercado em alguns meses desse ano. A diferença entre a  Tam e a  Gol  aumentou em 0,69 ponto percentual em 2011. A ocupação média da companhia continua abaixo da do mercado e ligeiramente menor do que a da  Gol.
Em 2011 a  Tam aumentou a oferta de assentos por quilometro em 9,54% e registrou um amento de demanda de 11,48% - menos que a média do mercado nos dois casos. O aumento da oferta na  Tam se deveu principalmente pela ampliação do Code-Share com a  Trip e dos slots adquiridos com a compra da Pantanal. Nesse ano a  Tam aposentou os turbo-hélice da Pantanal e abandonou as rotas regionais operadas por essas aeronaves. O grande ganho da  Tam com a compra da Pantanal foram os slots no Aeroporto de Congonhas, o que permitiu a companhia a reforçar os seus vôos no aeroporto mais disputado do país.


GOL: Gol chegou a ultrapassar a Tam no mercado nacional em fevereiro e agosto desse ano, mas continua na vice-liderança e perdeu mais participação do que a Tam em 2011. A  Gol fechou o ano com menos 2,26 pontos percentuais no mercado que foi para as companhias menores como  Azul, AviancaTrip. Porém a  Gol conta com uma grande parceira esse ano - a WebJet que foi comprada em julho. Com a  WebJet a  Gol vai para 42,91% do mercado ultrapassando a  Tam. A  WebJet também é um importante reforço nos slots da  Gol nos aeroportos de  Congonhas e Santos Dumont, que estão saturados e não podem receber novos vôos. Além da compra da  WebJet, a Gol ampliou o seu acordo de Code-Share com a Passaredo. A ocupação média da Gol vem se recuperando desde a fusão da malha da Varig e da Gol e apesar de ter crescido quase 2 pontos percentuais nesse ano, ainda está abaixo da média do mercado.


AZUL: Azul é a companhia que mais cresceu no mercado brasileiro nos últimos dois anos, porém quem mais aumentou a oferta de assentos por quilometro nesse ano foi a regional Sete Linhas Aéreas. A Sete aumentou em 73,58% a oferta graças ampliação da frota com os EMB-120. A  Azul ficou em segundo lugar com um aumento de 68,71%. Pelo lado da demanda, quem registrou a maior alta foi a Trip e a Azul ficou em terceiro lugar (com 64,21%), atrás da Sete. No entanto no quesito participação no mercado a Azul foi a de longe que mais aumentou a sua fatia chegando a 8,56% do mercado nacional, um aumento de 2,53 pontos percentuais. Isso se deveu em parte à ocupação média da empresa que registrou uma pequena queda de 2010 para 2011, mas fechou com 81,46% - a segunda maior do mercado, atrás da Total com 84,52%. A alta ocupação faz parte da estratégia da companhia - pessoas que ainda não voaram pela empresa são atraídos pelos preços baixíssimos e se satisfeitos com o serviço fazem propaganda da companhia para seus amigos e familiares.


WEBJET: Das pequenas como AzulAviancaPassaredo e Trip, a WebJet foi a que menos cresceu e a única desse grupo que obteve um aumento de oferta e demanda por quilometro menor do que a média do mercado. Porém a companhia continua situada na quarta posição do mercado nacional, após ter perdido o posto de terceira maior para a Azul no ano passado.  A ocupação média da companhia também sofreu uma queda de 1,46 pontos percentuais. O fato é que a companha recebeu apenas uma aeronave durante o ano, um Boeing 737-300. Somente em dezembro a companhia recebeu a segunda aeronave do ano - um Boeing 737-800 que iniciou a renovação e ampliação da frota após a compra pela Gol.


TRIP: Trip é a maior regional da América do Sul e agora é a quinta maior companhia do Brasil, após ter ultrapassado a Avianca nesse ano. A frota da companhia é a terceira maior do Brasil com mais de 50 aeronaves da Embraer e da ATR. Aliás, a companhia está preste a se tornar a maior operadora de aeronaves ATR do mundo, posto hoje ocupado pela American Eagle. A companhia registrou um aumento na oferta de assentos por quilometro de 63,13% e um aumento na demanda de 74,41%, o que gerou um aumento na ocupação média da companhia em mais de 4 pontos percentuais. Porém a ocupação da companhia continua abaixo da média do mercado; 65,17%. No entanto ao compararmos só com as companhias regionais, a  Trip apresentou a segunda maior ocupação, só perdendo para a  Passaredo.
Em 2011 a companhia recebeu a maior aeronave já operada pela companhia, o E-190, e ampliou ainda mais a malha, que atende quase 90 destinos nacionais!


AVIANCA: Depois de um bom tempo estagnada e de ser ultrapassada pela Azul e Trip, a companhia começou uma expansão mais condizente com a taxa de crescimento do mercado de aviação comercial brasileiro. A companhia anunciou a renovação e ampliação da frota com aeronaves Airbus A318, A319 e A320 e continuou apostando no conforto para atrair os passageiros. O seu A319 leva 132 passageiros enquanto a mesma aeronave A319 da Tam leva 144. Com a expansão a frota da companhia saiu de 17 para 26 aeronaves e como resultado a oferta e a demanda aumentaram acima da média do mercado; 32,04% e 40,84% respectivamente. Além disso a ocupação média da companhia também aumentou, chegando quase a 80%.


PASSAREDO: Junto com a Azul e a Trip, a Passaredo vem apresentando grandes taxas de crescimento nos últimos anos. Mas esse ano a companhia diminuiu um pouco o ritmo, apesar de ter crescido acima da média do mercado. A companhia iniciou uma grande expansão em 2008, quando iniciou a substituição dos seus seis EMB-120 por jatos e hoje a companhia opera somente com jatos ERJ-145. Nesse ano a companhia também ampliou o seu acordo com a Gol, o que ajudou no aumento de passageiros.



INTERNACIONAL
2011
2010
Companhia
Participação
Ocupação
Participação
Ocupação
Tam 88,1% 81% 86,8% 79%
Gol 10,6% 62% 12,9% 60%
Avianca 1,2% 74% 0,1% 58%
MERCADO (2011):   Crescimento: 11%   Ocupação média: 78%

Desde a falência da antiga Varig, as companhia brasileiras (principalmente a Tam) vem lentamente recuperando o espaço perdido para as estrangeiras. Porém as companhias brasileiras representam apenas 1/3 do mercado internacional. Em 2010 as companhias brasileiras obtiveram apenas 35,22% do mercado, enquanto as estrangeiras ficaram com 64,78%. Em 2005 (quando a antiga  Varig ainda tinha uma malha internacional considerável) a participação das brasileiras era de 43,95%. Com o colapso da  Varig outras companhias como a Bra e OceanAir entraram no mercado internacional levando pessoas a crerem que o mercado iria ter mais concorrência do lado das brasileiras. No entanto não foi isso o que aconteceu, na verdade o mercado ficou ainda mais concentrado. Agora o mercado internacional no lado das brasileiras está nas mãos da  Tam que domina quase 90% do mercado. Na época da  Varig ela tinha concorrentes brasileiras em vôos longa distância como própria Tam, Vasp e Transbrasil, enquanto hoje em dia a Tam é a única companhia brasileira que possui voos de longa distância.

TAM: Tam é a líder absoluta do mercado internacional e foi a companhia que mais cresceu nesse mercado (sem contar a Avianca Brasil, que em 2010 só operou em novembro e dezembro no mercado internacional). A empresa aumentou a oferta de assentos por quilometro em 10,06% e obteve um aumento na demanda de 12,71%, ambos maiores que a média do mercado. Em 2011 a companhia inaugurou vôos para a Cidade do México, recebeu dois novos A330 e aposentou os A340. Grande parte do aumento do número de passageiros foram os Code-Share com companhias que fazem parte da Star Alliance e com o Grupo Lan. Aliás, a fusão entre a Tam e a Lan deverá dar uma "turbinada" na expansão internacional da Tam. A ocupação da Tam no mercado internacional também aumentou e é a maior disparado dentre as companhias brasileiras.


GOL: O ano de 2011 foi marcado por mais um encolhimento da Gol no mercado internacional. A companhia que já chegou a ter 43% do mercado internacional com a nova Varig chegou em 2011 com apenas 10%. Com o fim dos voo de longo curso da nova Varig, a com conta somente com aeronaves Boeing 737 e está limitada a oferecer voos internacionais dentro da América do Sul e para o Caribe. Nesse ano a ampliação da malha internacional ficou com o Caribe, onde a Gol voa diretamente de São Paulo para Barbados e desde Caracas para Aruba, Curaçau e Punta Cana - aliás, esses são os únicos voos que ainda são operados com a marca Varig. Outra novidade da companhia foi rota ligando Porto Alegre à Santiago do Chile. Porém a Gol teve uma perda importante no mercado internacional que foi o fim dos vôos para Bogotá. O motivo foi a forte concorrência. A Gol herdou essa rota da antiga Varig e em 2007 só tinha a Avianca (Colômbia) como concorrente. Porém em 2010 e 2011 a Tam e a  Avianca Brasil também começaram a fazer a rota. Houve ainda o vulcão chileno que afetou voos para Argentina, Chile e Uruguai e como a Gol operar internacionalmente só na América do Sul e Caribe, a companhia foi bastante afetada. A Gol registrou uma redução da oferta de 11,93% e uma retração na demanda de 8,98%. A ocupação da companhia registrou um aumento de aproximadamente 2 pontos percentuais.


AVIANCA: Avianca Brasil começou a operar voos internacionais regulares em novembro de 2010. O único destino internacional da companhia é Bogotá, o HUB da sua empresa-mãe Avianca (Colômbia). A partir de Bogotá os passageiros podem ir para vários destinos na América Latina, Estados Unidos e Europa através da malha internacional da Avianca (Colômbia). 

Avianca-Taca faz a maior encomenda de A320neo da América Latina

A Avianca-Taca anunciou hoje a compra de 33 aeronaves da Família A320neo e 18 da Família A320. O pedido foi assinado em junho durando o Paris Air Show e se trata da maior encomenda de uma única companhia da América Latina para a Família A320neo, segundo a Airbus. No total a Avianca-Taca possui uma encomenda de 190 aeronaves da Airbus, incluindo a  Família A320 e o A330-200.

Copa chega ao Recife

A Copa Airlines anunciou hoje o seu sétimo destino no Brasil. A partir de 23 de junho a companhia irá oferecer quatro voos semanais entre Panamá e Recife. Além do Recife, a Copa já opera no Brasil em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre e Manaus - uma das companhias estrangeiras com maior número de destinos no Brasil. O HUB da Copa fica em Panamá e de lá os brasileiros podem fazer conexão para toda a América Central, Caribe e para os Estados Unidos.


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Mudanças na Aviação em 2012

A partir de 1 de janeiro de 2012 todas as companhias aéreas que aterrissarem ou decolarem de algum aeroporto da União Europeia terão que respeitar o ETS (Emission Trading Scheme).
Todas as companhias aéreas receberão anualmente um número de autorizações para emitir CO2 com base na média produzida entre 2004 e 2006. Quem exceder esse limite terá que comprar direitos de outras companhias ou pagar multas.
Companhias norte americanas e chinesas já se manifestaram contra a medida. E companhias como a Lufthansa já anunciaram que o "custo extra" será repassado para o consumidor. A própria União Europeia e a IATA afirmaram que a medida pode causar aumento no preço das passagens aéreas.
A Lufthansa, que tradicionalmente é empenhada em reduzir o consumo de combustível, comentou que medidas operacionais como a otimização da frota e das rotas, um sistema eficiente de lavagem de motores ou de adaptação da velocidade podem reduzir o consumo de combustível e consequentemente as emissões de CO2.
As emissões de CO2 gerados pelas companhias aéreas representam de 2% à 3% das emissões totais na União Europeia.

As mais lidas dos últimos 12 meses

As mais lidas de todos os tempos

Populares

Postagem em destaque

Os Boeing que não existiram

Na industria da aviação comercial é muito comum aeronaves que ficaram só no papel. Todas as fabricantes possuem modelos que não deram certo ...

Sobre Nós

Minha foto
O site AviaçãoComercial.net foi criado em agosto de 2009, a partir do site FSDownload.net (lançado em 2004). O site www.aviacaocomercial.net é dedicado a aviação comercial brasileira e mundial, com informações sobre aeronaves, companhias aéreas, dados e etc. O Blog de Notícias se dedica a informar aos visitantes as últimas notícias da aviação comercial brasileira e os principais acontecimentos da aviação comercial mundial.

Arquivo

Últimas Postagens