Busca interna

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Airbus entrega o primeiro A350

A Airbus entregou oficialmente o primeiro Airbus A350 para a Qatar Airways hoje, em Toulouse. O A350 é a mais nova aeronave da Airbus e conta com as mais recentes tecnologias, como o maior uso de materiais compostos, deixando a aeronave mais leve. Para os passageiros o A350 oferece uma cabine mais espaçosa, maior umidade, maior pressão e iluminação com LED. 
Inicialmente lançado como uma resposta ao Boeing 787, o A350 foi criticado por ser um "A330 melhorado". O programa então sofreu alterações e o A350 ficou maior, passando a mirar mais no Boeing 777. O novo Airbus A350 compete o Boeing 777 e Boeing 787, além de ser o substituto da Família A340. A Airbus também pensou numa versão para substituir o A330, conhecida como Airbus A350-800. Mas após o lançamento do A330neo, o futuro da versão A350-800 parece incerto. Atualmente a versão tem apenas 26 encomendas de três companhias aéreas. A versão A350-900 é a mais popular com 585 encomendas, seguida da versão A350-1000 com 169.
Qatar Airways foi a primeira companhia do mundo a receber o Airbus A350 e por enquanto é a maior cliente do modelo, com 80 encomendas (43 para a versão 900 e 37 para a versão 1000). A Qatar foi fundada em 1995 e vem crescendo rapidamente. A companhia conta atualmente com uma frota de cerca de 120 aeronaves da Família A320A330A340, A380,  Boeing 777 e Boeing 787. Além de ter a lançado do A350, a Qatar também deverá ser a lançadora do novo Airbus A320neo.
A350-900 da Qatar está configurado com 283 assentos em duas classes (36 na executiva e 247 na econômica) e o primeiro voo comercial será na rota Doha - Frankfurt, em janeiro de 2015.
A350 será a nova aeronave para voos de longa distância da Tam. A companhia irá receber o seu primeiro A350 em dezembro de 2015.
sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Azul irá operar Airbus A320neo

A Azul anunciou hoje que chegou a uma acordo para operar 63 aeronaves Airbus A320neo, sendo 35 adquiridas pela empresa e os outros operados por meio de leasing com AerCap e GECAS. Todas as aeronaves serão recebidas entre os anos de 2016 e 2023. Os A320neo virão com o Espaço Azul e TV ao vivo. Eles serão configurados para 174 passageiros em assentos slimline e equipados com motores CFM International LEAP-1A.

Avianca Brasil terá voos internacionais

Germán Efromovich, presidente da Avianca, anunciou que a Avianca Brasil irá inaugurar voos internacionais de longa distância em 2015. Os primeiros destinos serão Miami e Orlando, com quatro Airbus A330-200. A companhia também tem planos de lançar voos para Europa.
Não é de hoje que a Avianca Brasil tenta partir para o mercado internacional. Em 2007, quando ainda se chamava Oceanair, a companhia iniciou voos para o México, que foram cancelados em 2008. Em 2010, já como Avianca, a empresa iniciou voos para Bogotá, mas foi substituída pela Avianca Colombia.
A Avianca Brasil pretendia receber os primeiros A330 e iniciar voos internacionais ainda em 2014, mas os planos foram adiados e a companhia recebeu apenas um A330-200F. A encomenda inclui nove A330, sendo três cargueiros. Ainda segundo Efromovich, a Avianca Brasil pode receber até dez Airbus A350-900 a partir de 2018, dependendo da demanda.



Atualização 12/2015
O grupo chegou a receber alguns A330 destinados para a filial brasileira, mas eles ficaram estocados e não vieram para o Brasil. Os planos para voos internacionais foram adiados por tempo indeterminado.

Sai 1º Classe e entra Premium Business

Premium Business da Tam
Em abril a Tam anunciou que iria acabar com a Primeira Classe a partir do dia 1º de novembro de 2014. A Tam segue uma tendencia global onde as companhias estão substituindo a Primeira Classe por uma classe executiva mais sofisticada. Empresas como a Delta, Air Canada, Iberia, Alitalia e KLM acabaram com a Primeira Classe e Air France e Lufthansa vêm reduzindo o número de assentos em suas aeronaves. A própria Tam já havia reduzido a quantidade, no inicio os Airbus A330-200 da Tam chegaram a ter 18 assentos na Primeira Classe. Depois o número de assentos foi reduzido para sete e depois para quatro.
A partir de novembro, nenhuma companhia aérea da América do Sul irá oferecer Primeira Classe.
Por outro lado a Tam lançou em novembro uma nova classe executiva, a Premium Business. A poltrona, quando totalmente reclinada, terá 84 polegadas (213 cm), 15% maior do que a anterior. Todas as aeronaves Boeing 777 serão reconfiguradas com a nova Premium Business e os Airbus A350 já virão equipados assim. Todos os B777 deverão estar prontos até o fim do primeiro semestre de 2015. Outras novidades incluem um cardápio renovado, serviço de bordo mais personalizado e veloz e um novo funcionário chamado "Chefe de Serviços", responsável por assegurar a qualidade dos serviços oferecidos.
Os passageiros Tam Fidelidade Black ou Vermelho Plus terão upgrade gratuito para a Premium Business, desde que existam assentos disponíveis no momento do check-in.
sexta-feira, 21 de novembro de 2014

A disputa por widebody está mais acirrada

A Airbus e a Delta anunciaram ontem a encomenda de 50 jatos widebody, sendo 25 Airbus A330neo e 25 Airbus A350. A Delta vinha analisando também o Boeing 787, mas acabou optando pela Airbus. Essa foi mais uma rodada da acirrada disputa entre a Boeing e a Airbus por clientes para as suas novas aeronaves widebody.
No mês de novembro, a Boeing tem contabilizadas 566 encomendas para o Boeing 777 (sendo 286 para a nova geração B777X) e 815 encomendas para o Boeing 787. Já a Airbus tem 411 encomendas para o Airbus A330 (sendo 123 para a nova geração A330neo) e 785 encomendas para o Airbus A350. Nesse cenário a Boeing ainda está na frente, mas por pouco. Atualmente a Boeing é líder nesse segmento, já que o Boeing 777 se mostrou um sucesso absoluto e desbancou o principal rival Airbus A340. Porém a disputa entre o Boeing 777X e o Airbus A350 promete ser muito mais acirrada.
Enquanto isso, no mercado narrowbody, a Família A320neo da Airbus está bem a frente dos Boeing 737MAX.
Veja abaixo quais aeronaves widebody foram escolhidas por algumas das principais companhias do mundo para renovar a frota:

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Adeus MD-11


Após vinte e quatro anos, o MD-11 fez ontem (26/10/2014) o último voo de passageiros. O voo KLM 672 de Montreal para Amsterdam foi operado pelo MD-11 prefixo PH-KCE e pôs fim a era McDonnell Douglas na companhia, que já durava mais de 80 anos. A KLM foi uma das maiores clientes da antiga Douglas e operou todos os modelos da fabricante: DC-2, DC-3, DC-4, DC-5, DC-6, DC-7, DC-8, DC-9 e DC-10. Quando a Douglas virou McDonnell Douglas (em 1968) a KLM operou a maior aeronave já produzida pela fabricante, o MD-11.

O MD-11 foi lançado na década de 80 como substituto do Douglas DC-10. A nova aeronave trouxe inovações como os winglets, cabine totalmente computadorizada e sistemas digitais. Porém a aeronave sofreu atrasos na produção e não conseguiu atender as expectativas de economia de combustível e alcance. A McDonnell Douglas demorou para corrigir os problemas, enquanto a Airbus lançava o Airbus A340 e mais tarde a Boeing lançava o Boeing 777. O MD-11 não conseguiu competir com os novos jatos da Airbus e Boeing e a McDonnell Douglas acabou sendo comprada pela Boeing em 1997.
No Brasil o MD-11 se tornou a principal aeronave da Varig para voos internacionais na década de 90. O modelo também foi operado pela Vasp, Varig Log e Tam.
Para os entusiastas, a KLM fará três voos especiais de despedida do MD-11 em novembro.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

NOTAM (Notice to Airmen) Outubro/2014

Airbus A330
De olho no mercado doméstico da China, Airbus anunciou que vai construir uma versão do A330 otimizada para rotas regionais. A versão será capaz de decolar com 242 toneladas de peso.

Tam Cargo
A divisão brasileira de cargas do grupo Latam recebeu a segunda aeronave com as cores da Tam Cargo, prefixo PR-ACO. Porém a frota irá continuar com quatro aeronaves Boeing 767-300ERF, pois a aeronave prefixo PR-ADY, que voava na companhia desde julho de 2012, foi devolvida ao proprietário.

Boeing 767 da Boa
A Boa (Boliviana de Aviación) recebeu a maior aeronave de sua frota, um Boeing 767-300ER e com ele pretende voar para os EUA e Madrid. Por enquanto a aeronave foi alocada no voo para São Paulo. A aeronave era opera pela Tam (ex PT-MSR).

Gol expande no internacional
A Gol continua com sua estratégia de aumentar os voos internacionais e a receita em dólares. Anunciou o aumento da oferta de voos entre Brasil e Buenos Aires, em parceria com Aerolineas Argentinas. O objetivo é transformar a rota numa "ponte aérea", alcançando 180 frequências semanais.
A companhia também pretende ampliar a oferta de destinos internacionais através de code-share com suas principais parceiras Delta, Air France-KLM e Aerolineas Argentinas.

Boeing 787 em São Paulo
A partir de outubro a Lan começou a operar o Boeing 787-8 na rota Santiago - São Paulo, substituindo o Boeing 767. O 787 é a aeronave mais moderna da companhia e oferece novas tecnologias a bordo e mais conforto para os passageiros.

ATR na Azul Cargo
A Azul vai aproveitar um ATR-72-500, substituido pelo ATR-72-600, para transformá-lo na sua primeira aeronave puramente cargueira. A aeronave será operada pela Azul Cargo e tem capacidade para seis toneladas. A companhia irá usar aeronave para voos noturnos entre Porto Alegre, Campinas, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Fernando de Noronha.

Latam anuncia novos voos internacionais
A rota São Paulo - Milão, hoje operado pelo A330-200 da Tam será substituída pela rota Santiago - São Paulo - Milão, operado pelo Boeing 787-8 da Lan.
A Tam irá inaugurar a rota São Paulo - Cancún, operada com o A330-200 uma vez por semana. A companhia também deverá lançar em 2015 as rotas São Paulo - Barcelona, São Paulo - Nova York - Toronto e Brasília - Orlando. Além disso a Tam irá aumentar as frequências na rota São Paulo - Miami e Brasília - Miami. Já a Lan vai aumentar as frequências na rota Santiago - Miami.
quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Etihad lança sua própria aliança global

Já foi o tempo que a aviação mundial era dominada pelas companhias americanas e europeias, companhias como Emirates, Singapore e Etihad estão tirando o sono dessas gigantes com serviços de altíssima qualidade e preços competitivos. Tem sido comum companhias europeias acusarem companhias do Oriente Médio de competição desleal, pois recebem ajuda dos governos de seus países. Outro motivo de embate são as alianças globais de companhias aéreas, onde companhias como Emirates e Etihad se recusam a ingressar e acusam que as "donas" das alianças obrigam as outras companhias a alimentar seus próprios voos.
Sendo assim a Etihad Airways criou a sua própria aliança global, a "Etihad Airways Partners", competindo com Star Alliance, SkyTeam e OneWorld. A aliança já nasceu com seis companhias aéreas: Etihad, Air Berlin, Air Serbia, Air Seychelles, Jet Airways, e Darwin Airline. A nova aliança alinha as malhas das companhias membro e terá milhas e benefícios padronizados.
A Etihad Airways Partners tem uma malha aérea combinada com mais de 250 destinos em 6 continentes e oferece a facilidade de reserva em um único bilhete. Qualquer companhia aérea pode integrar a aliança, mesmo que seja de outra, como a Air Berlin (que é da Oneworld). Outras potenciais candidatas da aliança seriam a Alitalia e a Virgin Australia, já que a Etihad possui investimentos nas duas empresas.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

A320neo voa pela primeira vez

Decolou hoje no aeroporto Blagnac, em Toulouse - França, as 12 horas do horário local, o primeiro Airbus A320neo. A aeronave registrada como F-WNEO começou a ser montada em março desse ano e teve o seu roll-out em julho. O A320neo é a primeira aeronave a voar da nova geração da Família A320neo, composta por A319neo, A320neo e A321neo.
Visualmente as principais diferenças são os motores bem maiores e os sharklets (embora os sharklets também estejam presentes na versão atual da Família A320). Comparado com os atuais A320, o novo A320neo gasta 15% menos combustível e a Airbus promete que ele gastará 20% menos em 2020, depois que receber melhorias adicionais. A economia vem dos novos motores, sharklets, novas tecnologias aerodinâmicas e nova cabine. A Airbus também aumentou a capacidade dos modelos sem prejudicar o conforto, graças aos novos assentos slim (super finos) e novas configurações de lavatório e galley. O A319neo pode levar até 140 passageiros (4 assentos a mais), o A320neo 189 passageiros (9 assentos a mais) e o A321neo 240 passageiros (20 assentos a mais).
O A320neo que voou hoje estava equipado com motores Pratt & Whitney PurePower PW1100G-JM. Essa opção de motor será a primeira a entrar em operação, previsto para o final de 2015, nas cores da Qatar Airways. A outra opção de turbina é a CFM International Leap-1A, que deverá ser certificada em junho de 2016.
A Família A320neo foi lançada antes do principal concorrente, Boeing 737MAX, e está na frente com mais de 3 mil unidades encomendadas contra mais de 2 mil da Boeing.
segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Boeing e Ryanair lançam uma nova versão da Família 737MAX

A Boeing e Ryanair anunciaram hoje (dia 8 de setembro) a mais nova versão da Família Boeing 737MAX. Trata-se de uma versão de alta densidade do Boeing 737-8MAX, capaz de acomodar até 200 passageiros. A nova versão é conhecida como Boeing 737 MAX 200 e foi lançada oficialmente depois de uma encomenda de 100 unidades (com opção para mais 100) pela Ryanair, que atualmente possui a maior frota de aeronaves Boeing da Europa.
O novo 737MAX 200 foi criado especialmente para companhias low cost, low fare, que poderão adicionar cerca de 11 assentos a mais e terão custos operacionais cerca de 5% menores do que o B737-8 MAX. A Boeing conseguiu garantir 200 passageiros no novo 737 graças a adição de mais uma saída de emergência e a remoção das galleys. Porém, para evitar ter mais um comissário a bordo, os Boeing 737 MAX 200 da Ryanair serão configurados com 197 assentos.
A capacidade máxima do Boeing 737-800 e Airbus A320neo é de 189 passageiros, enquanto a do Boeing 737-9MAX é de 220 passageiros e do Airbus A321neo de 240.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Companhias aéreas apostam em Viracopos

Depois de muitos anos com pouco tráfego de passageiros, o Aeroporto Internacional de Viracopos agora é a aposta de muitas companhias aéreas como alternativa ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. O aeroporto de Campinas foi construído como alternativa ao Aeroporto Internacional Galeão, no Rio de Janeiro, que até então era o único capaz de receber os grandes jatos. O único aeroporto de São Paulo era Congonhas, que ficou com voos nacionais e para América do Sul. O Aeroporto de Viracopos, em Campinas, ficou sendo então o aeroporto internacional de São Paulo e recebia voos da grandes companhias da época como Pan Am, Braniff, Air France, Alitalia, Lufthansa, KLM, Swissair e outras. No entanto o aeroporto de Campinas perdeu a importância quando foi inaugurado o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em 1985. Todas as companhias internacionais passaram a voar para Guarulhos, que era muito mais perto de São Paulo e o Aeroporto de Viracopos ficou deserto. A partir daí o aeroporto passou a se concentrar em voos cargueiros e se consolidou como o segundo aeroporto que mais movimenta carga no Brasil, atrás apenas de Guarulhos.
 Tudo mudou em 2008, quando foi criada a Azul Linhas Aéreas. A companhia, que inicialmente havia escolhido o Aeroporto Santos Dumont como Hub, acabou tendo que mudar seus planos e optou pelo Aeroporto Internacional de Viracopos. A Azul se inspirou nas companhias low cost, low fare americanas e européias que usam aeroportos secundários como Hub. A vantagem é que os aeroporto secundários tem tarifas mais baixas e assim a companhia aérea pode oferecer passagens com preços ainda mais baixos. Porém esse tipo de aeroporto costuma ficar mais longe do centro da cidade, fazendo com que o passageiros gaste mais tempo e dinheiro para chegar efetivamente no seu destino. No Brasil a Azul tentou amenizar a distância entre Campinas e São Paulo, oferecendo ônibus gratuito para seus passageiros.
 Com a entrada da Azul, o Aeroporto de Viracopos viu o número de passageiros crescer vertiginosamente. Além da Azul, a concorrência (Tam e Gol) também logo trataram de aumentar drasticamente os seus voos em Campinas. Ao contrário da Tam, o aumento de voos da Gol foi mais consistente e permanente, mas a Azul seguiu dominando o aeroporto com mais de 60% das operações. De 2008 para 2009 o Aeroporto de Viracopos cresceu 211%, saindo de cerca de 1 milhão de passageiros para mais de 3 milhões por ano. Em 2013 o aeroporto movimentou mais de 9 milhões de passageiros e é o sexto maior do Brasil. Em 2008 era o décimo nono maior.
 Depois da explosão de voos nacionais, o Aeroporto de Viracopos começou a atrair os voos internacionais. A primeira foi a companhia portuguesa
Tap, que iniciou voos em 2010. Em abril de 2014 a Azul anunciou o inicio dos seus voos internacionais e escolheu Viracopos (é claro). Usando a mesma estratégia ao escolher Viracopos, a Azul escolheu um aeroporto secundário, o Aeroporto de Fort Lauderdale ao invés do Aeroporto de Miami. Porém a concorrência também se interessou por Viracopos, logo a American Airlines e a Gol anunciaram voos para Miami desde Campinas. A primeira a inaugurar os voos foi a Gol, em julho de 2014. O voo decola do Aeroporto Santos Dumont para Viracopos e então segue para Miami com escala em Santo Domingo, quatro vezes por semana e operado pelo Boeing 737-800. A American Airlines vai oferecer voos entre Campinas e Nova York, três vezes por semana, a partir de 1º de dezembro de 2014 e entre Campinas e Miami, diariamente, a partir de 2 de dezembro de 2014. Ambos os voos operados com o Boeing 767-300. Já a Azul vai inaugurar os seus voos entre Campinas e Fort Lauderdale no dia 1º de dezembro de 2014. A companhia também irá inaugurar voos entre Campinas e Orlando, a partir de 15 de dezembro de 2014 e entre Campinas e Nova York, em 2015. Todos os voos serão diários e operados com o Airbus A330-200.
 Após esses voos o Brasil vai contar com nada menos que 15 voos diários diretos para Miami (6 de São Paulo e 2 do Rio de Janeiro, além de voos desde Belo Horizonte, Brasília, Porto Alege, Curitiba, Salvador, Manaus, Recife, Fortaleza e Belém), isso sem contar os voos com conexão da Gol, Copa, Avianca e outras.

O segundo A330-200 da Azul. Foto de Marcos Junglas.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Airbus lança o A330neo

O rumor de que a Airbus iria lançar uma versão melhorada da Família A330 não é novidade. Primeiro o A330neo viria para manter o A330 competitivo até a chegada do A350. Depois, com as fracas encomendas da versão A350-800, começou-se a especular que a Airbus iria cancelar o A350-800, abrindo espaço para o A330neo.
Finalmente, no dia 14 julho de 2014, a Airbus lançou oficialmente a Família A330neo. Composta das verões A330-800neo e A330-900neo, que substituirão os atuais modelos A330-200 e A330-300, respectivamente. As novas aeronaves serão equipadas com novos motores Rolls-Royce Trent 7000, novos winglets, asas maiores e melhorias aerodinâmicas, garantindo uma redução no consumo de combustível e maior alcance. A Airbus também modificou a cabine permitindo adicionar mais seis assentos no A330-800neo e mais dez no A330-900neo.
A Airbus espera que o primeiro A330neo esteja pronto em 2017 e as entregas comecem em 2019. Os A330neo competirão diretamente com o Boeing 787, enquanto os A350 agora vão focar mais na disputa com os Boeing 777X.

Enquanto isso, a Boeing anunciou a entrega do primeiro Boeing 787-9 para a Air New Zealand, no dia 9 de julho de 2014. O Boeing 787-9 é cerca de seis metros mais longo que o Boeing 787-8 e pode levar cerca de 40 passageiros a mais. Essa foi a segunda versão do Boeing 787-9 a voar e possui cerca de 400 encomendas de mais de vinte companhias aéreas.
sexta-feira, 27 de junho de 2014

Etihad compra 49% da Alitalia

A Etihad Airways anunciou a compra de 49% da Alitalia, salvando (de novo) a companhia aérea da falência. O investimento da Etihad na Alitalia faz parte do seu plano de adquirir participações em diversas companhias aéreas e construir uma aliança global, de modo que essas companhias alimentem seus voos e aumentem a ocupação de suas aeronaves. Além da Alitalia, a Etihad já possui participações na Aer Lingus, Air Berlin, Air Seychelles, Air Serbia, Darwin Airlines, Jet Airways e Virgin Australia. A companhia aérea suíça, Darwin Airlines, inclusive passou a operar sob a marca "Etihad Regional" em janeiro de 2014.
 A Etihad já é a quarta maior companhia aérea do Oriente Médio e compete diretamente com a Emirates. Tanto a Etihad quanto a Emirates usam a mesma estratégia: um enorme Hub no Oriente Médio com serviços de alta qualidade e luxo. Mas até quanto isso vai funcionar? A Etihad já possui mais de cem aeronaves e voa para quase cem destinos em todo o mundo, enquanto a Emirates possui mais de duzentas aeronaves e serve cerca de 130 destinos. Quando o crescimento da frota e da malha se esgota, é preciso buscar outras formas de crescer.
 Apesar de ser salva, a Alitalia deverá encarar reestruturação nos empréstimos, redução da malha e da frota, além da demissão de cerca de dois mil funcionários. Um dos problemas na recuperação da empresa é a resistência a demissões. Entretanto a transação ainda será julgada pela Comissão Europeia.
 A compra de 49% da Alitalia pela Etihad sofre grande resistência das companhias europeias, principalmente da Lufthansa - o maior grupo aéreo europeu. A Lufthansa acusa empresas como Ethiad e Emirates de concorrências desleal. Segundo a Lufthansa elas são empresas estatais disfarçadas, pois recebem subsídios e privilégios de seus governos locais.
 A Air France/KLM, que tinha 25% da Alitalia, se recusou a continuar investindo na companhia.
quinta-feira, 8 de maio de 2014

Novos voos internacionais

Air Canada
A companhia irá iniciar voos entre Toronto e o Rio de Janeiro com o Boeing 767-300 a partir do dia 11 de dezembro de 2014, três vezes por semana.


Air France
Inaugurou no dia 31 de abril de 2014 o voo sem escalas entre Paris e Brasília, com o Boeing 777-200, três vezes por semana.

Amaszonas
A companhia aérea boliviana iniciará voos entre Santa Cruz de La Sierra e Cuiabá, três vezes por semana, a partir do dia 22 de maio de 2014. A empresa também tem planos de voar para Campo Grande e Brasília. Os voos serão operados com o Bombardier CRJ-200.

American Airlines
A companhia líder no mercado entre o Brasil e os EUA iniciou voos diários na rota Miami - Curitiba - Porto Alegre, em novembro de 2013, com o Boeing 767-300.


Sky Airline
É a segunda maior companhia aérea do Chile e começou a voar para o Brasil no dia 30 de março de 2014, com o Airbus A319 na rota Santiago - São Paulo.

Gol
A Gol lançará um voo semanal entre Fortaleza e Buenos Aires. O voo foi criado depois de um incentivo dado pelo governo do Ceará, que reduziu a alíquota de ICMS sobre combustível de 30% para 12% para companhias aéreas com voos internacionais no estado.  A companhia também anunciou o inicio de voos entre Campinas e Miami, com escala em Santo Domingo, três vezes por semana, a partir de julho de 2014. A companhia também anunciou que aguarda aprovação do governo para iniciar code-share com a Tap e que deverá retomar os voos para Santiago.


Tam
Se alinhando com a Lan, a Tam anunciou o fim da primeira classe em detrimento de uma classe executiva melhor. O fim da primeira classe está previsto para o dia 1 de novembro de 2014, já a nova classe executiva vai ser incorporada aos poucos. Ela já está presente nos Boeing 767, deverá ser gradualmente introduzida nos Boeing 777 e já virá de fábrica nos Airbus A350. A nova classe executiva possui assentos 15% maiores e com reclinação verdadeiramente de 180º, a classe ainda contará com um serviço melhor e ainda mais personalizado.
A companhia também irá inaugurar, no dia 31 de maio de 2014, voos entre Fortaleza e Miami. O motivo da nova rota está ligado a redução da alíquota de ICMS sobre combustível de 30% para 12% para companhias aéreas com voos internacionais no Ceará. A Tam já havia lançado também voos entre Belém e Miami, em fevereiro desse ano. A empresa também planeja lançar voos sem escalas entre Porto Alegre e Santiago, em meados de outubro de 2014.
segunda-feira, 5 de maio de 2014

Ethiad Airways cria um novo nível de luxo na primeira classe

A Etihad Airways anunciou no último domingo, dia 4, a suas novas primeira classe, classe executiva e classe econômica que irá equipar os Airbus A380 e Boeing 787. A primeira classe possui agora três níveis de luxo: The Residence, First Apartment e First Suite.

The Residence by Etihad: É um mini apartamento de 125 metros quadrados e com três cômodos: sala de estar, banheiro e quarto. Está disponível apenas no Airbus A380, no deck superior e apenas um por aeronave. Cada mini apartamento pode acomodar um ou dois passageiros. A sala de estar está equipada com dois sofás (um formado por dois assentos de primeira classe juntos e outro que também serve de armário), uma televisão de 32 polegadas, armários e gaveta, guarda-roupa, unidade de vaidade pessoal e mini-bar refrigerado. O quarto está equipado com uma cama de casal e televisão de 27 polegadas. No banheiro é possível tomar banho em pé.
Além disso os passageiros do The Residence terão um mordomo pessoal e uma equipe Concierge para garantir que todos os detalhes da experiência de viagem sejam perfeitos.
A The Residence é um serviço inédito na aviação comercial e oferece um nível de conforto somente comparável aos jatos executivos. O preço também faz jus ao nível de luxo, cerca de 25 mil dólares, o dobro de uma primeira classe convencional.
The Residence - quarto (clique para ampliar)

The Residence - banheiro (clique para ampliar)

The Residence - sala de estar (clique para ampliar)

First Apartment: É como se fosse uma suíte de hotel de 39 metros quadrados, com um quarto e banheiro. Está disponível no Airbus A380, com nove First Apartment. O ambiente inclui uma poltrona reclinável, sofá que vira cama, televisão giratória de 24 polegadas, mini-bar refrigerado, guarda-roupa, armário e unidade de vaidade pessoal. Além do banheiro particular.
First Apartment (clique para ampliar)

First Suites: É uma versão menor do First Apartment e está disponível no Boeing 787, com oito First Suites. No ambiente há uma poltrona que vira uma cama, mini-bar refrigerado, entre outros. Outra novidade é a possibilidade de formar uma cama de casal, unindo duas cabines.
First Suites (clique para ampliar)


Todos os passageiros da primeira classe contam com Wi-fi, TV ao vivo, HDMI, USB e multi-tomada. Todos também têm acesso ao Lobby, que é uma sala com bar, sofás, mesas e televisão. Os passageiros classe executiva também têm aceso ao Lobby.
Etihad também anunciou novidades na classe executiva, chamada de Business Studio com 20% mais espaço e presente nos Airbus A380 e Boeing 787. A classe econômica ganhou com encosto para a cabeça fixo, ajuste lombar, novas conectividade e lounge para snacks e bebidas.

Com as novas classes, o Airbus A380 da Ethiad terá 498 assentos: 1 The Residense, 9 First Class Apartment, 70 na Business Studio e 417 na classe econômica.
Já o Boeing 787-9 terá 235 assentos: 8 na First Suites, 28 na Business Studio e 199 na classe econômica.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Azul anuncia voos internacionais em 2015

A Azul anunciou hoje os seu plano de expansão que inclui voos internacionais para os Estados Unidos e onze aeronaves "wide-body" da Airbus, num investimento de cerca de US$ 2 bilhões. A companhia já vinha estuando a possibilidade de adquirir aeronaves de grande porte e iniciar voos internacionais desde o inicio do ano passado.
A empresa anunciou que deverá receber seis Airbus A330-200, que deverão começar a ser entregues ainda em 2014. Os A330 serão equipados com motores Rolls-Royce Trent 700 e virão da Emirates e ILFC. E em 2017 a Azul deverá receber cinco Airbus A350-900, vindos diretamente da fábrica da Airbus e equipados com motores Rolls-Royce Trent XWB.
As aeronaves deverão ser configuradas com três classes: Econômica, Econômica plus e Executiva. Inicialmente os A330 deverão manter as suas configurações atuais e gradativamente receberão os novos interiores com o padrão Azul. Estima-se que o custo de reformar envolva US$ 8 milhões para cada aeronave. Os A350 já virão equipados com a configuração escolhida pela Azul.
A companhia ainda não decidiu quais destinos irá operar com a sua frota de longo alcance, mas já afirmou que deverá ser Nova York e algum destino na Flórida: Miami, Orlando ou Fort Lauderdale. A companhia porém já decidiu que os voos partirão de Campinas, o seu maior Hub.
Segundo David Neeleman, criador da Azul, a companhia pretende mudar o conceito de viagem internacional para os brasileiros, com segmentação de tarifas e serviços. Ainda segundo Neeleman, a Azul não irá abandonar a aviação regional, pelo contrário. Os 104 destinos atualmente servidos pela companhia irão alimentar os voos internacionais e vice-versa. Ele disse ainda que a Azul não pretende mudar a sua frota para voos domésticos, hoje composta por E-Jets e ATR. A Azul deverá comprar os novos E-Jets E2 a medida que o ciclo de vida das aeronaves atuais da frota estiver terminando.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Avianca Brasil apresenta sua nova identidade visual

A Avianca Brasil lançou no mês de abril a sua nova identidade visual, se alinhando com o grupo Avianca-Taca, que agora será globalmente reconhecido pela mesma marca e pelo slogan “É por você” (originalmente em espanhol “Es por ti”). Até o final do ano todas as instalações da Avianca Brasil deverão estar com a nova marca, incluindo os uniformes dos funcionários. A nova identidade visual também inclui uma nova pintura nas aeronaves, nova logomarca e novo website.
O novo logo é um condor estilizado, desenhado propositalmente traçando os contornos dos mapas da América do Norte, América Central e América do Sul. Inspirado no objetivo principal do grupo, que é conectar as três Américas.
A nova marca foi inaugurada em 2013 e ainda está em fase de implementação nas companhias do grupo: Avianca, Avianca Brasil, Taca, Aerogal e Tampa Cargo.
A primeira aeronave da Avianca Brasil com a nova pintura deverá ser o primeiro Airbus A330-200 cargueiro do Brasil, que irá operar para a Avianca Cargo (Brasil).
A expectativa da empresa é crescer 20% este ano e fechar 2014 com uma frota de 39 aeronaves e 7,4 milhões de passageiros transportados.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Tam entra na OneWorld

A Tam deixou hoje a Star Alliance e se juntou a Lan na OneWorld.  Juntas, as companhias que fazem parte da aliança, oferecem 14250 voos diários para mil destinos em 150 países, com uma frota de 3,3 mil aeronaves e salas VIP em 600 aeroportos.
Juntamente com a Tam, a US Airways (que também era da Star Alliance) entrou na OneWorld, agora que está em processo de fusão com a American Airlines.
Na OneWorld as principais parceiras da Tam deverão ser a American Airlines, British Airways e Iberia, além é claro da Lan. Com a entrada da Tam, a OneWorld se consolida como a aliança global com maior presença disparado na América Latina, sendo a líder nos voos entre a América Latina e os EUA e América Latina e Europa.
A Star Alliance está oferecendo aos clientes Tam Fidelidade Vermelho e Black a possibilidade de manter o status Star Alliance Gold ao mudar para um dos nove programas de passageiro frequente de outras companhias da aliança.
Porém, apesar de ter saído da Star Alliance, a Tam continua a ter parceria com algumas empresas da aliança, confira abaixo as atuais parceiras:

> Parceiras OneWorld: Air Berlin, American Airlines, British Airways, Cathay Pacific, Finnair, Iberia, Japan Airlines, Malaysia Airlines, Qantas, Qatar Airways, Royal Jordanian Airlines, S7 Airlines e Lan.

Parceiras Star Alliance:  Air Canada, Air China, ANA, Austrian, Brussels Airlines, Lufthansa, Shenzhen Airlines, Singapore Airlines, South African Airways, Swiss, Turkish Airlines.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Embraer entrega o primeiro E-175 "melhorado"

Ontem a Embraer entregou o primeiro jato E-175 com melhorias aerodinâmicas. O Embraer E-175 "melhorado" é um esforço da Embraer para manter seus jatos competitivos até a chegada da nova geração EJets-E2 em 2020. As modificações incluem uma nova wingtip, otimização de sistemas e outros refinamentos aerodinâmicos, proporcionando assim uma redução no consumo de combustível. O novo E-175 conseguiu superar a meta de 5% de redução no consumo de combustível, chegando a 6,4% de economia em relação ao E-175 original. Com os aprimoramentos, o E-175 se tornou ainda mais competitivo e o favorito para substituir jatos de 50 assentos como ERJ-145 e CRJ-100/200. Além da redução do consumo de combustível, os aprimoramentos permitirão intervalos mais longos de manutenção, aumento da produtividade e diminuição dos custos com manutenção.
O primeiro E-175 "melhorado" foi entregue para Skywest e operará sob a marca United Express. Essa é a primeira aeronave de um pedido de 40 unidades, com opção para até 200 unidades. Além disso a Skywest deverá ser a lançadora do novo E175-E2, recebendo a primeira unidade em 2020.
Além da Skywest, a Republic Airways também receberá em breve o novo E-175, que operará para a American Airlines.
quinta-feira, 27 de março de 2014

Tam e Lan apresentam novo interior das aeronaves

A Latam anunciou hoje o novo design das aeronaves das companhias Lan e Tam. Agora as duas companhias irão ter exatamente o mesmo interior, com as cores azul (da Lan) e vermelho (da Tam). As aeronaves com o novo design serão os Airbus A320 e A321 e os novos wide-body Airbus A350 e Boeing 787, que deverão chegar a partir de 2015. Toda a frota de A320 e A321 deverá receber o novo interior e deverão ser as primeiras com o novo visual interno. Os assentos das aeronaves de curta distância possuem quatro cores e dois tipos de textura de couro, enquanto os das aeronaves de longa distância possuem revestimento de tecido. Todos os Boeing 787 e Airbus A350 serão configurados com apenas duas classes, econômica e executiva.
O projeto foi desenvolvido com a PriestmanGoode, empresa de consultoria internacional de design. Veja a seguir as fotos divulgadas pela Latam:

Airbus A320 e Airbus A321 (clique para ampliar)






Airbus A350 e Boeing 787-9 (clique para ampliar)








quarta-feira, 12 de março de 2014

Boeing 747-8 chega ao Brasil pela Lufthansa

No próximo dia 29 de março a Lufthansa passará a operar com o Boeing 747-8 na rota Frankfurt – São Paulo. Até então a rota era operada pelo Boeing 747-400, que passará a voar na rota Frankfurt – Rio de Janeiro a partir do dia 31 de março. A rota para o Rio antes era operada com o Airbus A340-300.
O novo B747-8 é a 11º unidade dos 19 encomendados pela Lufthansa e oferece mais espaço para os passageiros em todas as classes e uma nova cabine inspirada no Boeing 787. Outra novidade é que a Lufthansa irá introduzir na sua frota intercontinental a nova Classe Econômica Premium com 50% mais espaço do que a classe econômica, assentos mais largos, apoio de braço para cada passageiro, maior reclinação e distancia de 38 polegadas (97 cm) entre as fileiras.
Boeing 747-8 foi lançado em 2010 pela Cargolux, na versão cargueira, e pela Lufthansa, na versão de passageiros.
Diferentemente dos estudos mais ambiciosos da década de 1990, o novo 747 não incorpora uma grande extensão da fuselagem. Em vez disso, a fuselagem do B747-8 tem dois trechos a mais que o B747-400, dando apenas um modesto aumento na capacidade. A fuselagem mais longa permite que o B747-8 transporte cerca de 51 passageiros a mais do que o Boeing 747-400, na versão de passageiros, e 16% mais carga na versão cargueira. A Boeing chegou a cogitar um alongamento ainda maior na fuselagem para acomodar mais 17 assentos, porém isso geraria uma redução do alcance em cerca de 500 km e isso não agradou clientes como a Emirates. Além disso a versão cargueira (B747-8F) possui o deck superior (o segundo andar) mais curto do que na versão de passageiros (B747-8I). Isso foi feito para evitar um aumento inútil do comprimento e do peso do avião, já que não há uso do deck superior na versão cargueira. 
Apesar de terem o mesmo comprimento, o deck superior da versão
cargueira (B747-8F) é menor do que o da versão para
passageiros (B747-8I)
No que diz respeito a fuselagem a Boeing focou na redução do peso utilizando materiais como fibra de carbono e ligas avançadas de alumínio. Porém visualmente há pouca diferença entre a fuselagem do B747-8 e as versões anteriores.
Já as asas do B747-8 são completamente novas. Juntamente com as novas turbinas GEnx, são os principais componentes que fazem o B747-8 ser a versão mais eficiente já produzida. As asas do 747-8 incorporam tecnologia avançada de ponta e tem o mesmo nível de tecnologia das asas do Boeing 787. Embora a asa do B747-8 tenha dimensões semelhantes as do B747-400, ela não utiliza nenhuma característica aerodinâmica das asas anteriores e incorpora novas tecnologias como raked wingtip, fluidodinâmica computacional, supercritical airfoil e fly-by-wire. A parte da asa que foi mais modificada foram os flaps. Durante os voos de teste a Boeing gastou muito tempo para melhorar ainda mais as velocidades de aproximação. No entanto todas essas mudanças nas asas criaram vários problemas, incluindo mudança no centro de gravidade, o que ajudou a atrasar o programa em cerca de dois anos.
Para os passageiros o Boeing 747-8 também traz muitas mudanças. A cabine de passageiros passou por uma mudança significativa, inspirada na cabine do Boeing 787. O interior da cabine possui uma arquitetura curvada que proporciona uma sensação de mais espaço e conforto. O novo sistema de iluminação também permite transições suaves do claro para o escuro. A escada que liga a cabine principal ao deck superior também foi modificada e agora está mais elegante e larga. O deck superior também passou por uma mudança significativa e é uma cabine de tamanho semelhante ao do Boeing 737-700. As janelas também foram revisadas, baseando-se nas janelas do Boeing 777, e ganharam um aumento estimado de 8% na área de visualização útil. Enquanto isso, a cabine do piloto é bem familiar para os que estão acostumados com o B747-400.
Com um peso máximo de decolagem (MTOW) 13% maior do que a versão 400, o 747-8 é equipado com trens de pouso reforçados. As dezoito rodas também ganharam novos freios e pneus.
Os novos motores GEnx-2B67 possuem 66500lb de empuxo e são derivados o GEnx-1B (do Boeing 787). As turbinas possuem um novo design, um ventilador de 2,67 metros, controle de vazamento digital, um novo cooler e utiliza materiais leves como fibra de carbono. As turbinas ainda contam os redutores de ruído “dente de serra” (saw-tooth) assim como o Boeing 787. Esses dispositivos foram desenvolvidos pela NASA e suavizam o ar quente que sai do motor e se mistura com o ar frio do ventilador, reduzindo a turbulência e a formação de ruído. O Boeing 747-8 é 30% menos barulhento do que o Boeing 747-400. Os motores GEnex-2B também foram projetados para serem 13% mais econômicos, mas o desempenho observado ficou aquém do esperado. Aliás um duro golpe para o Boeing 747-8 foi o fato dele não conseguir alcançar o desempenho prometido. O 747-8 se mostrou mais pesado e não atingiu a economia de combustível previamente anunciada. A Cargolux chegou a recusar-se a receber o modelo, mas acabou aceitando e a Atlas Air diminuiu a sua encomenda de 12 para 9 unidades.
Juntamente com a GE, a Boeing anunciou um pacote de melhorias aerodinâmicas, no motor e no peso para garantir o desempenho prometido. O Pacote de Melhorias de Performance (PIP em inglês) inclui 4% a mais de empuxo, redução de 2270 kg no peso da aeronave e melhorias para reduzir o arrasto na altitude de cruzeiro. Outro item no topo da lista é a reativação do tanque de combustível no leme horizontal, que está desativado depois que uma analise mostrou que em determinadas situações pode ocorrer vibração quando há combustível no tanque.


Boeing 747-400
Boeing 747-8I
Comprimento:
70,7 m
76,3 m
Envergadura:
64,4 m
68,4 m
Altura:
19,4 m
19,4 m
Motores:
PW4062 com 63300lb de empuxo

RR RB211-524H2-T com 59500lb de empuxo

GE CF6-80C2B5F com 62100lb de empuxo
GEnx-2B67 com 66500lb de empuxo
Capacidade de combustível:
216840 litros
242470 litros
Alcance:
13450 km
14815 km
Peso máximo de decolagem:
394600 kg
442300 kg
Peso máximo de pouso:
285800 kg
312100 kg
Velocidade de cruzeiro:
907 km/h
920 km/h
Passageiros:
416 em três classes
467 em três classes
Passageiros (configuração da Lufthansa):
322 ou 344 ou 352 em três classes
362 ou 372 ou 386 em três classes


As mais lidas do ano passado

As mais lidas

Populares

Postagem em destaque

Os Boeing que não existiram

Na industria da aviação comercial é muito comum aeronaves que ficaram só no papel. Todas as fabricantes possuem modelos que não deram certo ...

Sobre Nós

Minha foto
O site AviaçãoComercial.net foi criado em agosto de 2009, a partir do site FSDownload.net (lançado em 2004). O site www.aviacaocomercial.net é dedicado a aviação comercial brasileira e mundial, com informações sobre aeronaves, companhias aéreas, dados e etc. O Blog de Notícias se dedica a informar aos visitantes as últimas notícias da aviação comercial brasileira e os principais acontecimentos da aviação comercial mundial.

Arquivo

Últimas Postagens