Busca interna

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Participação no Mercado em 2014

Olhando superficialmente, o ano de 2014 parece uma repetição do que aconteceu em 2013: Tam e Gol reduzindo a oferta para aumentar a ocupação das aeronaves e Azul e Avianca aumentando a oferta e ganhando mercado. Porém se olharmos com mais atenção muitas coisas mudaram e apontam para um 2015 bem diferente.

Mercado Nacional - 2014
Empresa
Milhões de passageiros (RPK)
Ocupação das aeronaves
Participação no mercado
Crescimento 2014x2013
Tam
35,59
81,50%
38,12%
1,17%
Gol
33,73
77,77%
36,13%
8,05%
Azul e Trip
15,56
79,70%
16,67%
3,93%
Avianca
7,81
82,84%
8,37%
23,91%
Passaredo
0,52
66,90%
0,56%
23,70%
outras
0,14
67,41%
0,15%
3,40%
MERCADO
93,37
79,80%
100,00%
5,81%

Em 2013 o mercado nacional havia crescido pouco mais de 1%, já em 2014 o ritmo de crescimento voltou a aumentar com crescimento de 5,81%. Todas as principais companhias aéreas transportaram mais passageiros do que em 2013, embora Tam e Gol tenham reduzindo a oferta. A taxa de ocupação das aeronaves também aumentou em 2014, chegando a quase 80% - uma das mais altas do mundo. Isso indica que o espaço para aumentar ainda mais a ocupação é bem pequeno.

TAM: A Tam continuou sua política de reduzir a oferta para aumentar a ocupação das aeronaves, porém num ritmo muito menos intenso que no ano passado. Em 2014 a Tam reduziu em 1,5% a oferta contra 8% em 2013. Também ao contrário de 2013, quando viu a sua demanda diminuir quase 1%, em 2014 a Tam transportou 1,17% passageiros a mais que no ano anterior. Mesmo assim a Tam foi a única das grandes companhias brasileiras que perdeu mercado: -4,38% em 2014, saindo de quase 40%, em 2013, para 38% em 2014. Mesmo assim a empresa manteve a liderança no mercado nacional, embora a distância entre a Tam e Gol tenha reduzido em cerca de 2 pontos percentuais, para a metade em relação ao ano passado.
Apesar de perder mercado, a estratégia da Tam fez com que ela aumentasse ainda mais a ocupação em suas aeronaves, fechando 2014 com uma ocupação de 81,5% - a melhor marca em toda a sua história. Para 2015 a Latam já divulgou que tem como meta manter o mesmo nível de oferta, ou seja, crescer 0% no mercado nacional brasileiro. No entanto a Tam anunciou que irá ampliar o número de rotas regionais, inicialmente com aeronaves Airbus A319. A companhia também anunciou a encomenda de 30 aeronaves regionais (possivelmente da Embraer) e espera acrescentar de 12 a 15 cidades em sua malha nacional nos próximos três anos. Além disso a empresa está no final das negociações para implementar um code-share com a companhia regional Passaredo.

GOL: A intenção da Gol era manter a oferta estável em 2014 e a companhia apresentou uma redução da oferta de 1,67%. Porém a companhia viu a sua demanda aumentar 8% e como consequência a Gol foi a companhia que mais aumentou a ocupação das aeronaves em 2014, que cresceu nada menos que 7 pontos percentuais para 77,77% em 2014. Mesmo assim a ocupação da Gol ainda é a mais baixa dentre as quatro maiores companhias aéreas brasileiras. Com o aumento da sua demanda, a Gol ganhou mais 2,12% de mercado, fechando 2014 com 36,13% de participação.
O serviço "Gol + Conforto" se mostrou um sucesso e foi expandido para todas as rotas nacionais. O Gol + Conforto oferece assentos com maior distância entre as fileiras e sendo assim as aeronaves Boeing 737-700 passaram de 144 assentos para 138 assentos e os Boeing 737-800 de 189 para 177 assentos.

AZUL: Azul "pisou no freio" em 2014 e diminuiu bastante o ritmo de crescimento que vinha mantendo desde que foi fundada. Após a fusão com a Trip e a ampliação da malha para pouco mais de 100 destinos no Brasil, a Azul começou a sentir dificuldade para manter o seu crescimento de dois dígitos apenas com rotas regionais. Em 2014 oferta aumentou apenas 3,17% e a demanda 3,93%, se consideramos os dados da Azul e Trip. Em 2014 a Trip foi totalmente absorvida pela Azul, mas em 2013 os seus dados ainda eram publicados separadamente. Considerando os dados das duas empresas juntas a Azul perdeu mercado em 2014, saindo de uma participação de 16,97% em 2013 para 16,67% em 2014.
Após a aposentadoria dos modelos ATR-42-300 e ATR-72-200, a Azul iniciou a aposentadoria dos ATR-42-500, os últimos modelos ATR-42 da frota da empresa. Sendo assim a menor aeronave da empresa será o ATR-72-500/600, que transporta cerca de 25 passageiros a mais que a versão ATR-42. No entanto a Azul se viu obrigada a deixar de atender alguns destinos antes atendidos pelo ATR-42 e que são inviáveis com o ATR-72.
Apesar do cenário mais desafiador para a Azul, ela já tomou medidas para continuar a crescer no mercado nacional e ganhar mais mercado. A companhia anunciou a encomenda de até 63 aeronaves Airbus A320neo, que permitirão que a companhia compita diretamente com a Tam e Gol em rotas nacionais mais movimentadas. No entanto os A320neo só chegarão em 2016.

AVIANCA: Avianca foi a companhia que mais cresceu dentre as maiores companhias aéreas do Brasil, graças a chegada de sete novos Airbus A320. A companhia aumentou a oferta em 22,83% e viu a sua demanda aumentar em 23,91%, fazendo com que a ocupação de suas aeronaves aumentasse para 82,8% - a maior ocupação entre as principais empresas. Em 2014 a Avianca aumentou em 17,11% a sua fatia no mercado, alcançando 8,37% de participação. No entanto a empresa diminuiu o ritmo de crescimento em relação ao ano passado, quando registrou crescimento na casa dos 30%.
Para 2015 a Avianca pretende receber mais Airbus A320 e finalmente aposentar os Fokker 100.

PASSAREDO: Em 2014 a Passaredo voltou a crescer, apesar da frota ter ficado estagnada em nove aeronaves durante o ano inteiro. A companhia aumentou a oferta em 20,54% e a sua demanda aumentou em 23,70%. Com isso a companhia conseguiu aumentar a taxa de ocupação de suas aeronaves que passou para 66,90% em 2014, mesmo assim ainda está bem a baixo da média do mercado de quase 80%. A Passaredo aumentou a sua participação no mercado de 0,48%, em 2013, para 0,56% em 2014.
Em 2015 a expectativa é que a Passaredo receba três ATR-72-500, todos ex-Trip, o que garantirá um aumento de oferta considerável. Além disso, o acordo de code-share com a Tam deverá aumentar a ocupação das aeronaves.


Mercado Internacional - 2014
Empresa
Milhões de passageiros (RPK)
Ocupação das aeronaves
Participação no mercado
Crescimento 2014x2013
Tam
24,65
84,89%
84,55%
1,38%
Gol
4,35
71,02%
14,93%
25,66%
Azul
0,14
83,15%
0,50%
-
Avianca
0,01
33,76%
0,02%
-
MERCADO
29,15
82,45%
100,00%
4,95%

Em 2014 as duas companhias brasileiras que operam voos internacionais (Tam e Gol) andaram em direções opostas. Assim como no ano passado, a Gol aumentou a oferta, enquanto a Tam reduziu. No total as companhias brasileiras reduziram a oferta no mercado internacional em 1,56%, mas a demanda aumentou em 4,95% - aumentando a taxa de ocupação das aeronaves.
O ano de 2015 promete grandes mudanças no mercado internacional do lado das brasileiras com a entrada da Azul e uma possível entrada da Avianca.

TAM: Ao contrário do ano passado, a Tam diminuiu a oferta no mercado internacional em 4,46%. Porém a demanda da empresa aumentou 1,38% e a companhia alcançou uma taxa de ocupação das aeronaves de 84,55%. Porém, assim como no ano passado, a companhia continuou perdendo mercado, fechando 2014 com 84,55%.
Em 2014 a Tam entrou saiu da Star Alliance e entrou na OneWorld, o que melhorou a conectividade nos voos para os EUA, com a parceria com a American Airlines, mas diminuiu a conectividade na Europa, apesar de a Tam ter mantido acordo com alguns membros da Star Alliance como a Lufthansa. A companhia também continuou substituindo os A330 por Boeing 767 e aumentou a oferta de voos para os EUA, enquanto manteve a oferta para Europa estável. A Tam também acabou com a primeira classe e renovou a sua classe executiva, sendo assim os seus B777 foram reconfigurados e ganharam ainda mais assentos. A Latam também anunciou novos destinos internacionais para a Tam em 2014/2015: Cancún, Toronto e Barcelona, além de novos voos para os EUA saindo de São Paulo e Brasília. No final de 2015 a Tam será a primeira companhia das Américas a receber o A350.

GOL: Gol continuou com sua estratégia de expansão no mercado internacional com novos voos para os EUA e Caribe, além de voltar a voar para Santiago. A companhia também ampliou o acordo de code-share com a Air France/KLM e Aerolineas Argentinas. Porém o ritmo de crescimento da Gol diminuiu. Em 2014 a companhia aumentou a oferta em 11% contra quase 30% em 2013. Em contra partida a demanda da companhia manteve um ritmo alto de crescimento, aumentando 25,66% em 2014. Com isso a ocupação das aeronaves aumentou para 71,02% e a participação no mercado para 14,93% em 2014. Mesmo assim a ocupação das aeronaves no mercado internacional é bem menor do que as outras companhias. Uma parte disso pode ser explicado pela restrição de assentos nos voos para os EUA, nesses voos a Gol só pode vender 85% dos assentos.

AZUL: Azul inaugurou seus voos internacionais em dezembro de 2014 e ficou com 0,5% do mercado em 2014. Mas se observarmos apenas o mês de dezembro a participação da companhia foi de 5,39%. A ocupação das aeronaves foi de 83,15%, um valor bem próximo da Tam. A companhia já recebeu os seis A330 e os A350 deverão começar a ser entregues apenas em 2017. Porém a companhia tem espaço para aumentar a fatia no mercado internacional apenas com os A330, visto que nem todos estão 100% em operação ainda.
Para 2015 a Azul pretende iniciar voos para Nova York e reconfigurar as suas aeronaves com assentos e sistema de entretenimento mais modernos.

AVIANCA: Avianca já tentou diversas vezes iniciar voos internacionais, mas até o momento não obteve muito sucesso. Em 2014 a companhia voltou a operar no mercado internacional, na rota Fortaleza - Bogotá. Porém a a companhia tem planos maiores. A Avianca Brasil pretende iniciar voos para os EUA e Europa com A330 e depois com A350. O grupo inclusive já recebeu alguns A330 destinados para a filial brasileira, mas eles estão estocados e ainda não vieram para o Brasil.
O presidente da companhia, Germán Efromovich, anunciou que a companhia pretende iniciar voos para Miami e Orlando em 2015, com quatro A330.

0 comments:

Postar um comentário

As mais lidas dos últimos 12 meses

As mais lidas de todos os tempos

Populares

Postagem em destaque

Os Boeing que não existiram

Na industria da aviação comercial é muito comum aeronaves que ficaram só no papel. Todas as fabricantes possuem modelos que não deram certo ...

Sobre Nós

Minha foto
O site AviaçãoComercial.net foi criado em agosto de 2009, a partir do site FSDownload.net (lançado em 2004). O site www.aviacaocomercial.net é dedicado a aviação comercial brasileira e mundial, com informações sobre aeronaves, companhias aéreas, dados e etc. O Blog de Notícias se dedica a informar aos visitantes as últimas notícias da aviação comercial brasileira e os principais acontecimentos da aviação comercial mundial.

Arquivo

Últimas Postagens